PRECONCEITO X MOTOCICLISTAS

Ser motociclista não significa simplesmente possuir uma motocicleta.

Pilotar uma moto não te credencia como motociclista.

Desfilar com roupas, botas, luvas, coletes cheios de brasões e distintivos pelos points motociclísticos, tentando apenas ser visto e/ou reconhecido, não é o bastante para ser admitido motociclista. Existem certos regulamentos que não estão escritos, mas existem no bom senso de todo motociclista.

Ser MOTOCICLISTA é… ser solidário com os companheiros, saber a hora de agradar e a hora de calar, o olhar para um companheiro e saber entender seus problemas, ter a sensibilidade para sentir o vento roçar seu rosto quando em baixa velocidade, ser acariciado pela brisa e saber que Deus existe e te protege, saber que está sendo aguardado pelos companheiros, sentir o prazer de compartilhar os problemas e apresentar soluções.
É parar e ajudar outro motociclista na estrada mesmo sem conhecê-lo.

É preciso aprender a “ler” a alma de sua motocicleta, sentindo nas veias a pressão dos pneus, a carga da bateria, o nível do óleo, sem nunca descuidar de tratar sua amiguinha com toda a atenção, para que ela devolva, em prazeres, todo o cuidado que tivestes com ela.

Ser Motociclista é um estado de espírito, é uma paixão e um jeito de ser.

Algumas definições:

a) Moto é PILOTADA, não DIRIGIDA. Você dirige seu carro, mas moto você pilota. E isso nada tem a ver com excesso de velocidade ou corridas e rachas;

b) Moto: Veículo motorizado de duas rodas, plenamente capaz de circular pelas ruas;

c) Motoqueiro: Pessoa que sabe colocar uma moto em movimento e acha que sabe pilotar;

d) Motociclista: Pessoa que sabe pilotar uma moto e pilota com prudência;

e) Cachorro-louco: Motoqueiro que anda desrespeitando o maior número possível de leis de trânsito. Raramente para em um semáforo, sempre está acima do limite de velocidade da via, e muito acima do limite de velocidade segura da moto que está pilotando;

f) Motoboy: Pessoa que trabalha no ramo de transporte de mensagens e encomendas. É um trabalhador que usa uma moto como ferramenta de trabalho. Motoboys podem ser Motoqueiros ou Motociclistas, inclusive alguns são Cachorros-Loucos;
g) Bandido: Pessoa que subtrai os pertences (ou tenta) de outra pessoa, por meio de intimidação, coação ou violência

Fatos:
a) Quem pilota moto não necessariamente é motoqueiro;

b) Quem pilota moto não necessariamente é motoboy;

c) Quem pilota a moto não necessariamente é bandido;

d) Quem pilota moto raramente quer morrer (exceto se for Cachorro-louco ou Bandido);

e) Motociclistas trabalham, tem família, e usam a moto para ir e vir, ou passear, da mesma forma que você faz com seu carro

f) Bandidos não trabalham, sua renda vem principalmente por meio da subtração dos pertences e dinheiro de outras pessoas;

g) Motos são pequenas e rápidas, por isso são muito usadas por bandidos, mas isso não faz com que toda e qualquer pessoa em cima de uma moto seja um bandido

h) Motos têm os mesmos direitos que os carros;

i) Motos NÃO são perigosas. Perigosos são os pilotos irresponsáveis e também os motoristas irresponsáveis à volta;

j) Motos devem ser estacionadas a um anglo de 90 graus (ou próximo disso) em relação à guia. Desta forma, ela ocupará a mesma largura que um carro ocuparia se estivesse lá, com a vantagem de ocupar pouco espaço no comprimento. No espaço de um carro podem estacionar até seis motos pequenas ou quatro grandes;

l) Existem motos de todos os tamanhos e preços, assim como carros. Motos podem estar em perfeito estado de funcionamento e conservação, ou quebradas, ou com problemas mecânicos, assim como carros. Motos exigem manutenção, assim como carros. Motos quebram, assim como carros. Motos são duráveis boas, assim como carros.

Dicas:
a) Procure não chamar qualquer pessoa que usa uma moto de Motoqueiro. Você pode acabar ofendendo esta pessoa;

b) Procure não demonstrar pena, raiva, ódio, ira ou preocupação ao saber que alguém de seu meio usa uma moto. Isso não faz sentido. Se for uma boa pessoa sobre os dois pés, será também sobre uma moto;

c) Procure não falar sobre os perigos de andar de moto. Acredite, ele ouve isso o tempo todo, já está cansado de tanta perseguição e provavelmente ele nem se importa com a sua opinião sobre isso;

d) Procure não fechar uma moto no trânsito, da mesma forma como não faria se fosse um carro;

e) Procure manter o corredor entre a primeira e a segunda faixas da esquerda livre para que as motos passem. Você está de carro e já está preso no transito, não há o que fazer a não ser esperar. Seja paciente. Fechar o corredor não vai fazer o transito andar mais rápido. Pelo contrário, acabará por piorar a situação;

f) Se você precisar trocar de faixas com seu carro, olhe no retrovisor antes, para ver se vem vindo uma moto. Se vier, aguarde que a moto passe antes de trocar de faixa. Dê a seta para sinalizar a sua intenção. Quando for trocar, faça-o rapidamente, evite demorar e ficar entre uma faixa e outra. As motos se aproximam muito rapidamente. Lembre-se da dica número 5 – Mantenha o corredor livre;

g) Em auto-estradas, motos podem andar na mesma velocidade dos carros. Motos não precisam costurar os carros para fazer ultrapassagens. Se uma moto pedir passagem, dê. Não espere que ela desista e o ultrapasse pela direita, afinal, isso é proibido de acordo com o CTB;

h) Se uma pessoa de moto bater em seu carro, ela deve pagar seu prejuízo. Você tem todo o direito de anotar a placa e procurar uma delegacia. Se você danificar uma moto, o proprietário também tem o direito de procurar uma delegacia e exigir ressarcimento. Não resolva nenhum problema deste tipo na rua. A polícia existe para isso;

i) Se você derrubar uma pessoa em uma moto, ou se uma moto simplesmente aparecer e bater em seu carro, PARE E PRESTE O SOCORRO. Por pior que seja a situação, ainda é melhor do que fugir sem prestar socorro. Sua obrigação é prestar socorro em qualquer circunstância, e não apenas quando você é o errado na história. Se precisar, peça ajuda a outros motoristas. Eles também são obrigados a ajudar, e se eles se omitirem, anote a placa e denuncie.

Fonte:
Redação do Utilidade Pública (o4 de março de 2012), com informações de portal Piloto Certo, Daniel Ribeiro/Moto Blog, Jacaremoto e MC Damas Aladas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>